Clubes da Colombia

Novidades

Produtos visualizados

Advertising

Camisa retrô Atlético Nacional de Medellim -1989 COL

Novo

*  Algodão com viscose.

* Escudo  bordado.

* Gola V

* Número bordado.

* Camisa de coleção.

* Produto  da futebol retrô.

Mais detalhes

Cálculo do Frete

Aguardando CEP

R$104,90

Mais informações

No ano de 1989 o Atlético Nacional sagrou-se a primeira equipe colombiana a vencer a Copa Libertadores da América, o feito foi sobre o Club Olimpia do Paraguai. O Atlético Nacional seguiu fazendo boas campanhas,em 1990 e em 1991 foi eliminado pelo mesmo Club Olimpia do Paraguai nas semifinais. Em 1995 chegou a final com contra o Grêmio, sendo derrotado no jogo de ida no estádio Olímpico em Porto Alegre por 3 a 1 e empatado por 1 a 1 no jogo de volta, no lendário estádio Atanasio Girardot. Em 2016, sagrou-se novamente campeão da Copa Libertadores da América ao bater na final o Independiente Del Valle do Equador. Na partida de ida, tinha empatado por 1 a 1 no estádio Olímpico Atahualpa em Quito e vencido por 1 a 0 no Atanasio Girardot no jogo de volta.

Muito se comenta sobre a influência de Pablo Escobar, importante narcotraficante e torcedor do Atlético, nas partidas do clube, incluindo os jogos da Libertadores de 1989.[1] O filho de Escobar nega tal interferência.[2]

Foi campeão nacional por quinze vezes, em 1954, 1973, 1976, 1981, 1991, 1994, 1999 (quando só havia um campeão por ano); e 2005, 2007 (no primeiro semestre), 2007 (no segundo semestre) 2011, 2013, 2014 (duas vezes) e 2015, campeão da Copa Colômbia por três vezes, em 2012, 2013 e 2016 além de ter sido campeão da Superliga da Colômbia, em 2012 e 2016.

Devido ao pujante destaque internacional, a equipe colombiana encontrou no São Paulo o seu maior rival brasileiro. Os confrontos oficiais começaram na Libertadores de 2008, ainda na fase de grupos, com um empate em 1 a 1 no Atanasio Girardot e uma derrota por 1 a 0 no Morumbi.

Pela Copa Sul-Americana foram dois confrontos em mata-mata. Já treinados por Juan Carlos Osório, em disputa válida pelas quartas de final no ano de 2013, o São Paulo levou a melhor ao derrotar os colombianos por 3 a 2 no Morumbi e depois empatar em 0 a 0 no Atanasio Girardot. Em 2014, pelas semifinais, o Atlético Nacional de Medellín levou a melhor nos pênaltis contra o São Paulo em pleno Morumbi, ao converter 4 cobranças contra 1 do time da casa. As duas partidas que antecederam esta decisão em pênaltis terminaram em 1 a 0 para cada mandante.

Em 2016, as equipes voltaram a se enfrentar, desta vez em confronto válido pela semifinal da Copa Libertadores. A equipe se saiu como a primeira finalista da edição de 2016, vencendo o clube brasileiro nas duas partidas com 2x0 no Morumbi e 2x1 em Atanasio Girardot, com os 4 tentos colombianos sendo marcados pelo atacante Miguel Borja, voltando a uma final de Libertadores depois de 21 anos[3] e se consolidando como bicampeão continental após 27 anos em cima do Independiente Del Valle.[4] Em 05 de dezembro a Conmebol concedeu ao clube o prêmio de "Centenário da Conmebol ao Fair Play", pela honrosa atitude de render à Chapecoense o título de Campeão da Copa Sulamericana 2016, em razão do desastre do voo LaMia 2933, que caiu em Cerro Gordo às 22h15m de 28 de novembro de 2016, dizimando a vida de 71 pessoas, incluindo 19 jogadores do clube e vários membros da comissão técnica. O Prêmio concedido rendeu ao clube 1 milhão de dólares.[1]